Gostou? Então espalha pra galera!

"Há muito tempo que ela não sorria tão espontaneamente. Há muito tempo que ela não sentia tamanha vontade de viver, de ser feliz, de fazer as coisas boas da vida. Não, ela não está apaixonada… ela simplesmente se desapegou das coisas que não lhe faziam bem."

Carinhos Guardados ♥

17 novembro 2011

Fatos que merecem serem lembrados: Morte de Steve Jobs

Calça jeans, camiseta preta e tênis – este era o uniforme de gênio. Todos se acostumaram a parar com atenção para ver Steve Jobs anunciar uma nova “febre” que surgia. Ele mudou e moldou boa parte do mundo em que vivemos. Transformou a Apple na empresa mais valiosa do mundo. Morreu na quarta-feira (5), nosEstados Unidos, aos 56 anos. O homem ousado, inovador, quase tinhoso e perfeccionista ao extremo, costumava resumir suas invenções em uma frase curta: “Simplesmente funciona”.
Steve Jobs se descrevia como o pirata que virou capitão do navio. Ele veio do movimento dos hippies da Califórnia nos anos 1960 e 1970. Foi para Índia fazer um retiro espiritual. Virou budista e era adepto das drogas psicodélicas antes de virar pelo avesso o mundo da alta tecnologia.
Ao lado do amigo Steve Wozniak, criou o primeiro computador pessoal na época em que a computação era feita em máquinas gigantescas, restritas a grandes empresas, universidades e órgãos governamentais. Foi o início de uma revolução cultural: o nascimento da era digital.
Em 1976, com dinheiro de investidores, fundou a Apple, uma maçã que já nasceu mordida. Uma referência bíblica a Adão e Eva, onde a maçã representa o fruto da árvore do conhecimento. Steve Jobs tinha apenas 20 anos.
Ao convidar para a direção da empresa o executivo de um grande fabricante de refrigerantes, Jobs disse: “Você quer vender água com açúcar para o resto de sua vida? Ou você quer vir comigo e mudar o mundo?”. A frase mostra a personalidade de Steve Jobs: visionário, criativo e desafiador.
Assim a Apple foi crescendo e inovando. Em 1984, veio o Macintosh, que, aliás, é um tipo de maçã. É o primeiro computador com interface gráfica e mouse. Apesar do sucesso na época, a Apple não dominou o mercado de computadores.
Steve Jobs não abria mão da fórmula e do design. Ele queria ter o controle sobre toda a produção – e isso custava caro. Os produtos tinham de ser feitos nos Estados Unidos. A ousadia do jovem visionário foi demais para o mundo dos negócios. Um golpe interno afastou Jobs da empresa.
Longe da Apple, ele fundou outra companhia, a Pixar, produzindo alguns dos melhores filmes de animação já feitos, a começar por “Toy Story”. A Pixar acabou comprada pela Disney, onde Jobs se tornou o maior acionista.
Em 1996, depois de 11 anos de exílio, Jobs voltou à empresa que fundou. A Apple estava à beira da falência, mas aos poucos, com o lançamento de produtos inovadores com o iPod, o iPhone e o iPad, a Apple foi conquistando mercado até se tornar este ano a empresa de maior valor de mercado dos Estados Unidos. Ao todo, 300 milhões de iPods foram vendidos em dez anos, 128 milhões de iPhones desde 2007 e 29 milhões de iPads nos primeiros 15 meses.
Steve Jobs era um perfeccionista que exigia funcionalidade casada com elegância e bom gosto. A maneira como nós interagimos com as computadores e telefones, tocando nas telas, usando e trocando música, imagens, mensagens e textos – tudo isso veio da visão de Steve Jobs.
Em 2004, Steve Jobs descobriu que tinha uma doença, um tipo raro de câncer no pâncreas.
Em 2005, falou sobre isso publicamente em um famoso discurso para os alunos da Universidade Stanford. “Lembrar que logo vou estar morto é a mais importante ferramenta que eu já encontrei para me ajudar a fazer as grandes escolhas na vida”, declarara Jobs.
O inventor da era digital deixa uma mensagem fundamental sobre a transitoriedade da existência, nas palavras de Steve Jobs aos jovens: “A morte é a melhor invenção da vida. É o agente da mudança. É o que afasta o velho para dar lugar ao novo. Lembrar que você vai morrer é a melhor maneira de evitar a armadilha de pensar que você tem algo a perder. Seu tempo é limitado. Tenha a coragem de seguir o que seu coração manda”.
A empresa Apple divulgou em sua página na internet uma mensagem lamentando a morte de seu fundador. O comunicado diz: “A Apple perdeu um gênio criativo e visionário. O mundo perdeu um ser humano maravilhoso. Aqueles de nós, que fomos sortudos o suficiente de conhecer Steve Jobs e trabalhar com ele, perdemos um amigo querido e um mestre inspirador. Steve deixa para trás uma companhia que só ele poderia ter construído e seu espírito vai ser para sempre o fundamento da Apple”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário